segunda-feira, janeiro 08, 2007

Cabanas de Viriato II


A Casa do Passal
Em Cabanas de Viriato nasceu, a 19 de Julho de 1885, Aristides de Sousa Mendes do Amaral e Abranches.
Aristides foi cônsul português em Bordéus, e durante a II Grande Guerra Mundial, no ano de 1940, contrariando ordens de Salazar, passou mais de 10.000 vistos, salvando refugiados (na sua grande maioria Judeus) da morte certa.
Muitos desses refugiados receberam abrigo na Casa do Passal enquanto não conseguiam embarcar para outros continentes.
Tais factos resultaram no fim da carreira política de Sousa Mendes. O mesmo viria a falecer no dia 03 de Abril de 1954 no Hospital da Ordem Terceira, em Lisboa, "pobre e desonrado"!
Hoje resta uma casa em ruínas que em nada dignifica o humanismo deste Homem. É triste que a fundação criada em homenagem a Aristides de Sousa Mendes, em 2001, deixe ao abandono um monumento com tanta história e tanto simbolísmo.

3 comentários:

Marta disse...

realmente é uma pena q esta casa esteja assim em ruinas... deve ter sido um belo palacete!
Com o aspecto actual, assusta mt, principalmente à noite. Odiei passar lá a pé à noite, assustou-me mt... p isso foi em passo acelerado p n ter q olhar mt p a casa!
e com aquele crucifico no canto da casa... então é q assusta!!!
como voces dizem, dava p fazer um belo filme de terror, q eu n via, com td a certeza!

xu disse...

Infelizmente em portugal ,ha dinheiro para muita coisa mas restaurar edificios com alguma historia, ..... se fosse para fazer estadios de certeza que havia!!!
enfim!!!

Pimenta disse...

Sou um verdadeiro Cusco!
E como verdadeiro cusco que sou, vim cuscar ao site que o Bruno assinava no fórum do Landmania, aquando de umas palavras simpáticas que me dirigiu. E sou confrontado com isto! De facto, deixaram-me com as lágrimas nos olhos...Cabanas de Viriato, é a terra natal da minha mãe, e ver o que vi, e ler o que li, é uma profunda emoção!
Esta casa/palácio pertencente a uma pessoa que passou as «passas do Algarve», por ter ajudado judeus a fugir do holocausto, é linda. Era a casa do Consûl Aristides de Sousa Mendes! Deixem-me repartir convosco um episódio. Enquanto estudante universitário em Coimbra, pertenci a um Grupo de Fados de Coimbra! Eu era o Cantor! E acreditem, certa noite, partimos de Coimbra, para irmos fazer uma Serenata á meia-noite em ponto, á porta do Palácio! Tivemos por público, as cigarras, os morcegos, as aves notivagas da vila e um ou outro transeunte que passava...e estou certo, tivemos também a companhia da alma do Aristides de Sousa Mendes...Foi uma noite memorável, carregada de um simbolismo único, que não mais vou esquecer!

Obrigado!

Agora, pergunto:
-Mas de Sever do Vouga, as surpresas não param de me acontecer? É que tem gente tão boa e tão simpática, que me surpreendem a cada passo!

Um forte abraço, e parabéns pelo blog! Este endereço vai decerto para os meus favoritos.

Rui Pimenta.